AJP Controle de Pragas

Formigas

As formigas são insetos sociais que vivem juntos em colônias. Pertencem à ordem Hymenoptera, mesmo grupo em que se encontram as vespas e abelhas. Existem várias famílias de vespas e várias de abelhas, no entanto todas as formigas estão agrupadas em uma única família, a família Formicidae.

Mesmo assim, as diferenças de biologia e comportamento entre as diferentes espécies de formigas são acentuadas, variando desde a formiga doméstica, comum de se encontrar dentro de residências, infestando áreas alimentares, até em hospitais, contaminando soro fisiológico e outros equipamentos até a formiga eminentemente rural, especializada em cortar folhas e outras partes vegetais para garantir a sua sobrevivência.

Para entender melhor a diferença entre cada uma destas formigas e podermos traçar um plano de ação consistente para o seu controle, necessitamos conhecer a biologia e comportamento das formigas.

Formiga Maluca (Paratrechina s.p)
Possuem somente um nó, pernas e antenas extremamente longas em comparação com o corpo. As antenas possuem 12 segmentos, sendo o primeiro segmento grande. A cor varia de um marrom escuro para um preto. São conhecidas por este nome por serem muito rápidas na sua movimentação. As colônias normalmente são pequenas, compostas de 2.000 operárias e de 8 a 40 rainhas. São conhecidas por abandonar o local do ninho e mudar para outro. Normalmente seus ninhos são na área externa, principalmente em calçadas ou telhados, pois a temperatura é alta e adequada ao desenvolvimento da cria.

Formiga-fantasma ou Doceira (Tapinoma melanocephalum)


Andam em ziguezague, fazem trilhas irregulares, não apresentam vôo nupcial e preferem alimentos adocicados. 
Fazem os ninhos pouco estruturados, dentro e fora das residências, atrás de azulejos, de batentes e rodapés, e mudam de local com freqüência. Na área externa podem ser encontradas no solo, madeiras em decomposição e partes de árvores. 
Operárias pequenas, um nó na cintura, gáster (abdomem) e cintura claros, mesossoma e cabeça escuros.

Formiga carpinteira (Camponotus spp)
Possuem somente um nó no pedicelo. Seu toráx quando visto de lado é uniformemente arredondado. Esta espécie de formiga possui colônias de tamanho moderado, possuindo em média três mil operárias. Podem construir ninhos satélites ligados a um ninho maior no solo. Normalmente atacam madeiras que foram afetadas por fungos, ou madeiras mortas de árvores, apesar de não comerem a madeira. Dentro da casa, normalmente se alimentam de doces, ovos, carnes, bolos, etc. As operárias percorrem distâncias que atingem até 90 metros do ninho em busca de alimentos, sendo que podem penetrar por portas, janelas, vãos, etc.
São polimorficas apresentando cores variadas (do amarelo ao preto).
Alimentam –se geralmente de substâncias açucaradas, ovos carnes e bolos.

Formiga do Fogo (Solenopsis spp)
Comumente chamadas de lava-pé. Possuem dois nós no pedicelo e um ferrão no abdômen. Sua picada é dolorosa e muitas vezes causa alergia (bolhas como se fossem queimaduras). A antena possui somente 10 segmentos e no final um grupo com dois segmentos maiores. Formam ninhos em montículos de terra que são circulares, e se localizam normalmente em áreas externas como embaixo de pedras ou cobrindo objetos. Cada colônia possui o seu território próprio, e podem ser atraídas por equipamentos eletrônicos causando sérios problemas. Essa espécie se alimenta de quase tudo (são onívoras), seja planta ou animal, tendo preferência por alimentos com proteínas.

Formigas Faraó (Monomorium pharaonis)
Os adultos são amarelos e pequenos. Possuem dois nós no pedicelo, a antena possui 12 segmentos e um grupo de três segmentos maiores a ponta. As colônias possuem um número muito grande de operárias, e possuem centenas de fêmeas reprodutivas em cada colônia. As novas colônias são formadas facilmente, necessitando somente de uma fêmea fértil e algumas operárias, bastando para isso migrarem para fundar uma nova colônia. Deve-se tomar cuidado quanto encontradas em hospitais, pois já foram detectadas pelo menos 12 bactérias patogênias em seus corpos. Estão normalmente localizadas em locais de difícil acesso como vãos de paredes, atrás de armários, em forros, etc. Atacam uma variedade muito grande de alimentos, variando de alimentos gordurosos, sucos de frutas a carnes e insetos mortos. São monomórficas, com cores variando do amarelo ao marron claro, medindo de 1,2 a 2,0 mm.

Formiga cabeçuda (Pheidole megacephala)
Os soldados são maiores que as operárias; cor variando do avermelhado ao marrom e cabeça grande quando comparada ao corpo (dimórficas).
Forrageiam perto dos ninhos e alimentam-se de produtos ricos em proteínas e sucos de frutas.
Em geral, fazem o ninho no solo, do lado de fora das construções, nas frestas das calçadas, ou dentro, nos rodapés de alvenaria ou madeira.

Formiga Argentina (Linepithema humile)


Possuem somente um nó no pedicelo e um tórax desuniforme. A cor varia de claro a um marrom escuro. Antena com 12 segmentos, sem segmentos maiores. Normalmente a colônia está localizada próxima a fonte de alimento (açúcar e doces) e água., como pias, canos, potes de plantas, etc. Possuem muitas rainhas e muitas vezes são agressivas, eliminando outras espécies de formigas do local.

Formiga Cortadeira (Atta spp)
Cabeças grandes, cor avermelhada, possui três pares de espinhos no dorso do mesossoma. As operárias possuem cabeça brilhante.
Cultivam fungos, principal alimento da cria e das rainhas, e parte dos alimentos das operárias. Fazem vôo nupcial.
Dependendo da espécie, os ninhos são feitos em locais sombreados ou ensolarados e possuem um monte de terra solta em volta.



Prejuízos causados por formigas
Alimentam – se de alimentos açucarados, gordurosos, amiláceos, de origem animal e vegetal;
Constroem ninhos em fendas nas construções;
Provoca instabilidade das construções, devido à construção do ninho;
Provocam rompimento de madeiras em travamentos de telhados;
Contaminam alimentos;
Podem ser vetores patogênicos de doenças (principalmente em hospitais).

Medidas Preventivas
Manter as instalações limpas, livres de resíduos de vegetais, animais e seus derivados;
Tratamento preventivo de madeiras;
Fechamento de frestas evitando penetração de formigas;
Evitar peças de madeiras próximas do solo e de umidade.

Medidas curativas
Diante de uma infestação de formigas faz – se necessário monitorar o ambiente a fim de encontrar os ninhos e identificar as espécies presentes. Por outro lado, não existe ainda um inseticida eficiente para todas as espécies que ocorrem no ambiente urbano.
Uso de inseticidas granulados;
Inseticida via insuflação (polvilhadores);
Inseticida via pincelamento;
Inseticida via pulverização.